Portugal é pequeno então, se você tem carteira de motorista ( a brasileira mesmo ), e se não está sozinho, vale à pena alugar um carro e rodar para conhecer outras cidades além de Lisboa ou Porto…desde que a sua permanência seja de mais de um dia, obviamente. Durante a baixa estação, o preço médio da diária da locação de um carro é de 32 ( carro pequeno, 5 passageiros, ar condicionado, transmissão manual ), e na alta estação, 42. Carros grandes e SUVs ficam em torno de 55 na baixa estação, e 75, na alta. Com uma estadia de uma semana se conhece as principais cidades de norte a sul do país, mas com três ou quatro dias já dá para conhecer bastante coisa.

Eu sempre cheguei por Lisboa e o aeroporto é bem perto do centro da cidade, o que poupa tempo, e dinheiro…na minha última ida, em dezembro de 2017, paguei 7 no táxi do aeroporto até o hotel.

Abaixo segue um roteiro de uma semana, mas se você terá menos tempo, basta ver quais cidades são sua prioridade. 😉

*No quinto dia deixe o hotel em Lisboa pela manhã, curta o dia nos pontos turisticos seguindo rumo ao norte do país, e chegue a Porto à noite.

Dentre as praias que conheci, e segundo pesquisei para escolhê-las quando fui, a praia mais bonita de Portugal é a praia da Marinha, e fica no sul, mas são 270 km de Lisboa, ou seja, se der para incluir mais um dia no roteiro, antes de seguir para Porto, faça uma visita ao sul do país, em Algarve. Nós fomos descendo e parando em algumas praias ( era inverno, então só admiramos ): Figueirinha, Porto Covo, Camilo, D. Ana e Marinha. Se for verão e quiser curtir por lá, reserve, pelo menos, dois dias para o sul, e se hospede em Algarve mesmo.

Se você tiver mais do que uma semana disponível, recomendo incluir mais dois dias de estadia em Porto, um para visitar Coimbra e Viseu, e outro para se dedicar com mais calma a Porto; e mais dois ou três dias para o sul do país, Algarve e regiões próximas. 

😉

Dia 1

O dia de chegada costuma ser mais curto devido à chegada, check in, e tudo o mais, mas dependendo da hora de chegada do seu vôo ( tem vôo da TAP que chega às 5 da manhã ) dá para visitar bastante coisa, e com disposição, até fazer Lisboa em um dia.

Parque das Nações é um bairro construído por ocasião da Expo 98. Após a Exposição a área assumiu seu nome atual e passou por grandes mudanças, como a construção de um novo shopping center, um centro de exposições internacional, vários hotéis, muitos novos escritórios e edifícios residenciais, e um cassino.

 

É um lugar bem interessante e recomendo o passeio do teleférico ( telecabine ), que dura cerca de 10 minutos e custa 5,90 ida e volta ( 3,95 só ida ) para adultos, e 3,35 ida e volta para crianças e idosos ( 2 só ida ), e pode comprar online ( www.telecabinelisboa.pt ) ou na bilheteria.

 

O Mosteiro dos Jerônimos fica no bairro Belém, a cerca de 20 km do Parque das Nações. Feito em estilo manuelino ( caracteriza-se pela mistura de elementos decorativos góticos tardios e renascentistas ) no projeto do arquiteto Diogo de Boitaca, foi construído pelo rei D. Manuel I para celebrar o retorno do navegador português Vasco da Gama, depois de ter descoberto a rota para a Índia. Diz a lenda que o mosteiro foi construído onde havia a igreja Ermida do Restelo, na qual o navegador e sua tripulação passaram a noite antes da partida para a viagem que os levou a descobrir a rota para a Índia, revelado então fundamental para a história da humanidade. Sua construção começou em 1502 e terminou após cerca de cem anos, e foi financiada por cinco por cento dos impostos cobrados sobre a importação de especiarias da Índia. Ali se encontram os túmulos de Vasco de Gama e Luís de Camões, assim como do rei Manuel I, de sua família, e de outros reis.

O mosteiro, juntamente com a vizinha Torre de Belém e o Monumento aos Descobrimentos, é uma celebração do período histórico mais importante da nação portuguesa e constitui uma das mais importantes atrações turísticas de Lisboa.

 

Também perto do Mosteiro está a famosa loja Pastéis de Belém, onde, como o nome já diz, se encontram os deliciosos pastéis; pequenos bolos de massa folhada recheados com um creme especial feito com natas e ovos que, quando assados, criam uma deliciosa camada caramelizada que caracteriza estes doces. Os pasteis são uma iguaria tradicional e famosíssima, e diz-se que a receita nasceu entre as paredes do antigo mosteiro de Belém.

Pilar 7 foi um dos meus pontos preferidos em Lisboa…a atração é nova e super recomendo. O espaço interativo permite a todos os visitantes uma descoberta única da Ponte 25 de Abril, considerada uma das mais belas pontes do mundo, através de um caminho entre os espaços externos deste pilar fundamental da ponte. e a experiência sensorial vivenciada no seu interior, numa viagem pela história da sua construção, terminando com a subida em um mirante panorâmico e todo em vidro, que proporcionará uma vista inédita sobre a cidade e o rio Tejo.

            

Dia 2

O segundo dia é mais pela parte central de Lisboa, e não há necessidade de carro, por isso pode ser feita no mesmo dia da chegada, dependendo do horário e, logicamente, do cansaço.

Na Praça dos Restauradores tem uma estação do metrô, e de lá você pode seguir a pé para os demais pontos da programação, curtindo as ruas de Lisboa.

O primeiro ponto proposto, a Praça dos Restauradores, é uma praça concebida para comemorar a libertação de Portugal do domínio espanhol em 1640. O ponto mais importante da praça é o obelisco, que está localizado no centro e onde há duas estátuas de bronze representando a Vitória ( com uma palma e uma coroa ) e a Liberdade. Os nomes e as datas gravadas em ambos os lados do obelisco são os das batalhas da Guerra da Restauração portuguesa.

 

O ponto seguinte, a Praça da Figueira, é uma praça que fica no local ocupado pelo Hospital de Todos-os-Santos antes do terramoto de 1755. A praça transformou-se no principal mercado da cidade e em 1885 construiu-se ali um mercado coberto, depois demolido nos anos cinquenta. A Praça da Figueira tem um perfil muito uniforme, com edifícios de quatro andares que remontam ao período em que o bairro Baixa Pombalina ( em honra a Marquês de Pombal ) foi reconstruído, após o terremoto e incêndio que destruíram o centro de Lisboa.

O Convento do Carmo é um convento que pertence à Ordem Carmelita. A igreja conventual, que na altura era a maior igreja gótica da cidade, foi destruída pelo terremoto de 1755 e continua a ser uma das principais memórias do desastre que assolou a capital portuguesa.

O Castelo de São Jorge se encontra na colina mais alta do centro histórico. O castelo ajudou Lisboa a impedir sucessivos ataques mouros no final do século XII. Quando Lisboa se tornou a capital do reino, em 1255, o castelo tornou-se a sede do Palácio Real, fortemente renovado por volta de 1300 pelo rei Dionísio I.

A Praça do Comércio está localizada perto do rio Tejo. O desenvolvimento urbano das margens do rio Tejo teve um forte impulso no início do século XVI, quando D. Manuel I construiu uma nova residência real – o Palácio da Ribeira – ao lado do rio e fora das muralhas da cidade. E ainda que o palácio tenha sido destruído pelo terremoto, a praça ainda é conhecida como Terreiro do Paço, e foi completamente remodelada como parte da reconstrução do bairro.

Dia 3

No terceiro dia tome café da manhã e siga para a simpática cidade de Sintra, que fica a 30 km de Lisboa.

O Castelo dos Mouros é um dos patrimônios mundiais de Portugal. Como o nome sugere, o castelo é de origem mourisca, mas o edifício atual é o resultado de uma renovação realizada no século XIX. A vista das muralhas e torres do castelo é de tirar o fôlego…se pode admirar a cidade de Sintra com o seu palácio real, bem como o vizinho Palácio da Pena.

 

A Quinta da Regaleira foi uma ótima surpresa. Não conseguimos visitá-la na nossa primeira estadia em Portugal, mas felizmente, remediamos isso na última visita. Com certeza é um ponto turístico que não recebe a devida atenção no que se refere à divulgação, pois a maioria das pessoas nunca ouviu falar na Quinta, e é um lugar lindíssimo, e muito interessante. É uma quinta com palácio, jardins e grutas, localizada no centro histórico de Sintra. A propriedade tem o nome da filha de um dos proprietários anteriores, que mais tarde tornou-se baronesa da Regaleira. O palácio e os jardins da Quinta da Regaleira, agora propriedade do município de Sintra e sede da Fundação Cultursintra, estão listados, como todo o centro histórico de Sintra, como Património Mundial da UNESCO. Reserve, pelo menos, umas 3 horas para rodar por lá e conhecer as grutas e jardins do local.

 

 

Construído após 1840 por Maria II de Bragança, como um presente de casamento para seu marido, o rei Ferdinando II de Portugal, sobre as ruínas de um convento Gerolamiano do século XV, o Palácio da Pena está sob a proteção da UNESCO, da qual foi incluído no Património Mundial em 1995 e em 7 de julho de 2007 foi eleito uma das 7 maravilhas de Portugal.

 

Saindo de Sintra, siga para a pitoresca Óbidos e, claro, não deixe de provar a bebida símbolo da cidade, Ginginha, um licor de Ginga delicioso que pode ser tomado em copinhos de chocolate. Nhammmmm!!!! A cidade leva o nome da palavra latina oppidum (cidade fortificada), e é cercada por muralhas ainda intactas e por dentro, ao longo da Rua Direita, a rua principal, há uma série de casas brancas com bordas verdes e azuis. As flores nas varandas dão uma aparência muito característica à pequena cidade. O castelo, muito bem preservado, foi construído no século XIII. Parece uma fortaleza com torres e ameias; foi transformado em palácio no século XVI e agora é um hotel de luxo.

 

Dia 4

Dia de curtir praia em Cascais, que é pertinho de Lisboa…se tua viagem for no inverno, ou já em meses mais frios, que impeçam de curtir praia, pode optar por ir ao Algarve para ver as praias do sul.

 

Dia 5

Dia de fazer as malas e deixar o hotel em Lisboa, rumo ao norte do país, conhecendo os mosteiros e o Santuário de Fátima.

O Mosteiro de Alcobaça é um mosteiro medieval localizado na cidade de Alcobaça, no centro de Portugal. Foi fundado pelo primeiro rei português, Afonso I, em 1153, e manteve um forte vínculo com os monarcas portugueses na história. Igreja e mosteiro foram o primeiro edifício gótico em Portugal e, juntamente com o mosteiro de Santa Cruz em Coimbra, foi um dos mais importantes mosteiros medievais do estado. Devido à sua importância artística, também foi tombada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade em 1989.

 

O Mosteiro da Batalha ou Convento de Santa Maria da Vitória está localizado em Portugal, na cidade da Batalha. Foi construído pela vontade de João I, em sinal de agradecimento à Maria pela vitória em 1385 contra João I de Castela na batalha de Aljubarrota, perto do local onde se travou a batalha. O construção do mosteiro durou cerca de 200 anos e 15 arquitetos participaram do projeto. Em 1388 já era o lar de um primeiro grupo de monges dominicanos. Construído em estilo gótico com peças de estilo manuelino…é realmente uma jóia de arquitetura.

   

Localizado no município de Ourém, o Santuário de Fátima situa-se na Cova da Iria, local das aparições de Maria, mãe de Jesus, a três jovens pastores em 1917. É reverenciado pelos católicos como um dos lugares mais importantes do culto mariano.

 

Abaixo desta azinheira os pastorinhos oravam esperando Nossa Senhora.

Dia 6

Hoje é dia de conhecer Porto. A maioria das atrações da cidade estão reunidas em uma mesma área, o que facilita muito, então, dependendo da sua disposição, dá pra ver bastante coisa em um dia.

A ponte Dom Luís I é uma ponte em arco de ferro que atravessa o rio Douro até à cidade de Porto, e foi dedicado a Luigi di Braganza, rei de Portugal. A ponte foi construída para o tráfego rodoviário, e desde 2003, o nível superior é trafegado, exclusivamente, por trens urbanos e pedestres. A vista da ponte é belíssima!!!!

Hora de descer e visitar a cantina Sandeman, em Vila Nova de Gaia, do outro lado do rio…tour com degustação de vinho.

A Ribeira é uma parte antiga e quase folclórica da cidade. Dessa região partem alguns passeios de barco pela Foz do Douro, e é uma zona bem movimentada e cheia de prédios históricos margeando o rio, e onde funcionam lojas e restaurantes com mesinhas espalhadas na calçada…uma boa opção para o almoço.

Uma dica gastronômica: não deixe de provar a Francesinha, prato típico da cidade, e logicamente, um cálice de vinho do Porto!!

O Palácio da Bolsa, ou mais precisamente o Palácio da Associação Comercial do Porto, é um palácio histórico e foi construído no século XIX pela associação comercial da cidade em estilo neoclássico. Está localizado no centro histórico e é um dos Patrimônios Mundiais da UNESCO.

 

Perto da Ponte D. Luis I fica a entrada para o funicular que leva à parte alta da cidade. A entrada parece meio escondida, mas basta seguir as placas. Mas do que um simples meio de transporte, o Funicular dos Guindais significa uma excelente oportunidade de fazer um passeio turístico entre duas zonas monumentais da cidade. Da Batalha à Ribeira, ou vice-versa, em apenas dois minutos, com o privilégio de desfrutar de uma vista soberba sobre o Douro e a Ponte Luiz I.

A Praça da Batalha foi palco de uma sangrenta batalha entre os Sarracenos de Almançor e os habitantes do Porto, que acabariam por sair derrotados, originando o arrasamento da cidade.

A estação de São Bento é a estação central da cidade. Situada no Centro Histórico, a estação afirmou-se como um dos principais monumentos na cidade, sendo especialmente famosa pelos seus painéis de 20.000 azulejo.

A Catedral do Porto ( ou Sé do Porto ) é a maior igreja católica da cidade e a catedral da diocese do Porto. Construída como uma igreja-fortaleza do século XII, tem uma estrutura original em estilo românico remodelado entre os séculos XVII e XVIII.

A Igreja e Torre dos Clérigos ( século XVIII ) é um importante conjunto arquitetónico do estilo tardo-barroco em território português, e foi classificado como Monumento Nacional em 1910.

A Praça da Liberdade é, por muitos, considerada o coração da cidade.

Para os fãs do bruxinho famoso, em Porto está a Livraria Lello, famosa pelo filme Harry Potter.

Dia 7

Para quem vai embarcar em Lisboa, hora de partir pro aeroporto, e para quem vai embarcar em Porto, pode curtir um pouco mais de uma das cidades preferidas de Portugal.

Além dos pastéis de Belém, os ovos moles e bolinhos de bacalhau são outras delícias portuguesas que valem a degustação.

😉

Onde se hospedar:

Super recomendo o hotel Príncipe Lisboa, em Lisboa. Bom preço, quarto ótimo, ótimo café da manhã, boa localização, e garagem.

Em Porto recomendo o HF Ipanema Porto, também com ótima localização, café da manhã, quarto, e garagem.

 

2 Replies to “Portugal”

  1. Sou suspeita amo Portugal, e achei lindo tudo , Parabens por esse blog explicativo que tenho. Certeza que muita pessoas vão amar conhecer!!!

  2. Sensacional!!! Descrição perfeita dessa linda terra! Emocionante relembrar cada local. A fidelidade da beleza de cada lugar, através das fotos. Parabéns pelo Blog.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *