A Itália é um país que, curiosamente, tem dois outros países dentro dela, um é o Vaticano, o menor país do mundo, e o outro, é a República de San Marino, a mais antiga república do mundo, um pequeno país independente cercado por território italiano da região da Emilia-Romagna. Localizado no topo do Monte Titano, é conhecido por sua antiga cidade medieval e ruas de paralelepípedos. No topo oriental da montanha, um caminho conecta 3 torres, parte do antigo sistema defensivo da cidade, que inclui o Castello della Guaita, uma pequena fortaleza com paredes ameadas que delimitam uma torre de vigia.  

      

Ruas estreitas cheias de lojas de artesanato, torres no alto da montanha, azul e laranja dos uniformes dos guardas na entrada, sabres de cavalaria e chapéus com penas, toda uma atmosfera real, e tudo contribui para formar um lugar onde você respira uma atmosfera antiga, mágica e medieval, de “era uma vez …”. Segundo a lenda, a República foi fundada em 3 de setembro de 301 dC por um pedreiro chamado Marino que veio da Dalmácia para escapar da perseguição cristã. No Monte Titano ( a mais alta das sete colinas da República ), Marino estabeleceu uma pequena comunidade cristã. Monte Titano, portanto, tomou o nome de “Terra di San Marino” em memória do fundador. Antes de sua morte, o Santo deixou seu povo com estas palavras: “Relios vos libertos ab utroque homine”, ou “Eu vos deixo livre de ambos os homens” referindo-se ao Papa e ao imperador, e desde então, o país sempre conseguiu manter sua independência. Hoje o Estado é dividido em 9 castelos: a cidade de San Marino (a capital), Borgo Maggiore, Serravalle, Acquaviva, Chiesanuova, Domagnano, Faetano, Fiorentino, Montegiardino.

San Marino é a capital do pequeno país, e é a terceira maior cidade do país como população. Segundo dizem, a cidade de San Marino nasceu em 301 pela vontade do diácono de San Marino, e graças a algumas batalhas contra a família Malatesta; entre 1295 e 1463 conquistou os territórios que ainda possui hoje.

Cidade muito bonita, e com paisagens muito sugestivas, a cidade de San Marino com suas muralhas, torres, muros e portões, em 2008, foi incluída entre os Patrimônios Mundiais da UNESCO, juntamente com o Monte Titano em que se encontra, porque é o testemunho de uma república que permaneceu livre desde a Idade Média.

Em San Marino você pode descobrir o maravilhoso Belvedere passando por um funicular do Monte Titano sobre a aldeia, admirar as armas antigas na torre de Cestia e se surpreender admirando a vista da Piazza della Libertà. O borgo é acessível por quatro “portas”, e contém os mais importantes monumentos e locais de interesse do Titano: as três torres medievais, símbolo de San Marino, a basílica do santo que preserva as relíquias do fundador do país, o Mosteiro de Santa Chiara, a Porta e a Igreja de San Francesco, o distrito de Ombrelli e a praça do Titano. Por fim, destaca-se a Piazza della Libertà, já citada, onde fica o Palazzo Pubblico e um excepcional terraço panorâmico.

           

No lugar onde hoje se ergue a basílica, já no quarto século havia uma igreja dedicada ao diácono de San Marino. Sob o altar são preservadas parte das relíquias do santo que foram encontradas em 3 de março de 1586. O crânio do Santo é preservado no Sacra Teca, um busto relicário em prata e ouro, desde 1602, colocado à direita do altar. Em 29 de agosto de 1982, a basílica foi visitada por João Paulo II e em 19 de junho de 2011 por Bento XVI, que prestou homenagem às relíquias do santo.

Basílica de San Marino

           

As torres de San Marino são três torres ( La Rocca, La Cesta, e Il Montale ) que serviram a República de San Marino para defesa dos ataques dos Malatesta de Rimini, e foram documentadas pela primeira vez em 1253.

A primeira torre, chamada Rocca ou Guaita, domina o precipício do Monte Titano e é cercada pela mais antiga das três muralhas que cercam a cidade de San Marino e ainda são visíveis hoje. A segunda torre, chamada Cesta ou Fratta, fica no ponto mais alto da montanha. A torre, do século XV, é de forma pentagonal. Os quartos da casa da guarda e do castelo estão atualmente ocupados pelo Museu San Marino de Armas Antigas, aberto ao público em 1956. O Montale, ou “terceira torre”, é o menor das três. No interior há uma prisão, chamada de fundo da torre, com oito metros de profundidade, e que só pode ser acessada de cima. Em torno do Montale você pode ver grandes rochas muito antigas, sobrepostas de uma forma primitiva como paredes. Foi muito importante durante as lutas contra os Malatesta. Foi recentemente renovada, mas não é possível entrar nela.

   

  

Há um teleférico que liga o centro histórico de Città di San Marino a Borgo Maggiore. Inaugurado em 1959 e modernizado nos anos noventa, o teleférico é um dos meios de transporte mais utilizados, principalmente pelos turistas, para chegar ao coração da capital. O percurso leva cerca de 2 minutos, durante os quais você pode admirar uma vista esplêndida de toda a costa do Adriático. A cabine transporta até 50 pessoas por viagem e o custo do bilhete de ida e volta ( andata e ritorno ) é de 4,50.

Percurso do teleférico

A poucos metros do teleférico você pode ver uma pedreira, hoje chamada Cava dei Balestrieri. É uma verdadeira pedreira criada nos últimos anos do século 19 pelo arquiteto Gino Zani para extrair o material a ser usado para a renovação do Palazzo Pubblico localizado a alguns metros de distância. Terminada a extração, a ideia inicial era construir, a partir dessas fundações, o Palazzo degli Uffici, mas, devido ao início da II guerra, em 1940, o projeto foi abandonado e restou apenas a base. Nos últimos 40 anos, esta área foi limpa e usada para a prática de esportes, especificamente para tiro com besta em estilo italiano, enraizada na tradição de San Marino durante séculos.

        

Pontos turísticos :

– Piazza della Libertà

– Palazzo Pubblico

– Cava e loggia dei balestrieri

– Funivia

– Duomo di San Marino

– Três torres e o Passo delle Streghe

– Museo di Stato di San Marino

– Museo della tortura

– Museo delle cere

– Museo delle curiosità

Em San Marino eu conheci o glühwein, uma bebida alemã, à base de vinho tinto quente que, aqui na Itália, é conhecida como vin brulè.

Eu achava que o Grand Premio di San Marino, de Fórmula 1, ocorresse em San Marino, mas não…a corrida, que ocorreu entre 1981 e 2006, era no Autódromo Enzo e Dino Ferrari, em Imola, a cerca de 100 km de San Marino.

Como chegar:

De carro, são cerca de 4 horas, 330 km, saindo de Roma.

De trem, você deve descer na estação de Rimini e depois pegar as linhas de ônibus públicos Benedettini ou Bonelli. A viagem dura cerca de 6 horas e meia.

De ônibus, você deve partir da rodoviária Tiburtina, a viagem tem quase a mesma duração do trem, e também chega apenas até Rimini, onde deve pegar o ônibus público para chegar até San Marino.

De avião, as opções são os aeroportos: Rimini Fellini, que fica a 27 km de San Marino, Ridolfi di Forlì, a 72 km de distância, ou Marconi di Bologna (132 km).

3 Replies to “San Marino”

  1. Mais uma que ainda não conheci, San Marino.! Apaixonante as histórias que envolvem as cidades Italianas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *